23 de dez de 2015

O BRASIL NO DIVÃ




O BRASIL NO DIVÃ
Está mesmo complicado viver no Brasil. Temos contemplado no dia a dia a forte imigração dos árabes em direção à Europa. Pois, permita Deus que dentro de dias/meses não veja o mundo uma forte onda de imigração de brasileiros buscando uma nova pátria livre de bandidos no comando da nação. Assustado? Não aconselho se assustar tanto assim. Morar, amar, viver, desejar o bem de uma nação em que os próprios mandatários estão envolvidos de forma tricotômica na mais indecente corrupção e desvios de conduta, certo que não é fácil. Sim, envolvidos de corpo, alma e espírito. De corpo, porque para a satisfação da sua concupiscência carnal não medem esforços para tentar ludibriar pessoas e instituições de dentro e de fora do país para que suas carnalidades sejam satisfeitas e abastadas. De alma, porque o desejo de sua alma não é o céu, não é Deus, não é Jesus Cristo, nem mesmo qualquer outro Deus ou deus. O desejo de sua alma é apenas que o ego seja acariciado e cortejado, de tal forma que pouco importa os meios inescrupulosos a serem utilizados para que a ganancia seja saciada. E de espírito, porque em verdade não há harmonia entre o seu espírito e o espírito do povo (por assim dizer). O que há é uma estranha e gritante aglutinação entre o seu espírito e o espírito imundo do roubo, da imoralidade e da indecência. 

O Brasil é hoje um paciente borderline, mesmo à beira da loucura. Ou não é tremenda loucura termos uma presidente que no passado foi assaltante de bancos, sequestradora de autoridades e subversiva quanto às leis da boa ordem e nela votarmos para conduzir uma nação inteira? Se é que votamos. Ou não é loucura termos um presidente do congresso nacional envolvido em roubos e desvios de dinheiro para satisfazer seus caprichos pessoais, e utilizar-se do congresso e do seu cargo para isto? Ou não é loucura termos um presidente do senado com mais de trinta acusações contra sua conduta, e perceber que mesmo a mais alta corte do país nega ao poder policial o simples direito de interpelá-lo? Ou não é loucura ver que os mais altos juízes do país são, na sua quase totalidade, pessoas de idoneidade comprometida com o partido político mais infame da nossa história? Ou não é ato de loucura ver que as próprias autoridades que deveriam ser os guardiões da ética e da moral, autorizam com suas nefastas leis menores de dezoito anos a matar, roubar, extorquir, se drogar, traficar, tolher, caluniar, desafiar, e a aniquilar suas próprias famílias? Não é loucura? Ou não é loucura que nossos governantes tenham liberado milhões e bilhões e trilhões em favor de entidades as mais inescrupulosas e ditaduras as mais cruéis da terra e negam o mais singelo direito à saúde, à segurança e à educação aos seus próprios cidadãos? Que país é este? Opsss: que cidadão é este?

O Brasil é hoje um cidadão borderline; próximo, mui próximo de um estado de loucura sem retorno. Fazer o quê? Ficar parado vendo o paciente definhar? Ficar parado vendo o paciente causar danos a outros nitidamente inocentes, sem nada fazer? 
BRASIL LIBERTE-SE DO DIVÃ.

Nenhum comentário: