26 de set de 2012

Jornal americano BRAZILIAN VOICE publica em favor da ASBEVE... Nós agradecemos


A ASBEVE tem o objetivo de trabalhar na internação e recuperação de mulheres e adolescentes, a partir dos 12 de anos idade, usuárias de drogas
Com sede no município de Governador Valadares (MG), na região do Vale do Rio Doce, ativistas comunitários estão construindo a sede da Associação Beneficente Vida & Esperança (ASBEVE). Localizada na Chácara Encosta do Sol, nas proximidades do Bairro Elvamar, a instituição tem o objetivo de trabalhar na internação e recuperação de mulheres e adolescentes, a partir dos 12 de anos idade, usuárias de drogas.
Segundo o Pastor Dhennis Wheberth Barbosa, a clínica já conta com uma equipe formada por psicanalista, médico, enfermeiros, assistente social, entre outros profissionais e voluntários.
“Nós temos o terreno de 20 mil m2, entretanto, falta-nos recursos para a construção das instalações, por isso, pedimos a ajuda de vocês para a realização desse projeto”, disse ele.
O uso de drogas é um fenômeno bastante antigo na história da humanidade e constitui um grave problema de saúde pública, com sérias consequências pessoais e sociais no futuro dos jovens e de toda a sociedade. A adolescência é um momento especial na vida do indivíduo. Nessa etapa, o jovem não aceita orientações, pois está testando a possibilidade de ser adulto, de ter poder e controle sobre si mesmo. É um momento de diferenciação em que "naturalmente" afasta-se da família e adere ao seu grupo de iguais. Se esse grupo estiver experimentalmente usando drogas, o pressiona a usar também. Ao entrar em contato com drogas nesse período de maior vulnerabilidade, expõe-se também a muitos riscos. O encontro do adolescente com a droga é um fenômeno muito mais frequente do que se pensa e, por sua complexidade, difícil de ser abordado, segundo os pesquisadores Ana Cecília Petta, Roselli Marques e Marcelo S. Cruz, da Revista Brasileira de Psiquiatria.
Os levantamentos epidemiológicos sobre o consumo de álcool e outras drogas entre os jovens no mundo e no Brasil mostram que é na passagem da infância para a adolescência que se inicia esse uso. Nos EUA, estima-se que cerca de 3 milhões de crianças e adolescentes fumem tabaco. O álcool é usado pelo menos uma vez por mês por mais de 50% dos estudantes das últimas séries do que corresponde ao nosso ensino médio, sendo que 31% chegam a se embriagar mensalmente.
No Brasil, o panorama mudou completamente nas últimas décadas. Até o início dos anos 80, os estudos epidemiológicos não encontravam taxas de consumo alarmantes entre estudantes. No entanto, levantamentos realizados a partir de 1987 pelo Centro Brasileiro de Informações sobre as Drogas Psicotrópicas da Universidade Federal de São Paulo (CEBRID) têm documentado uma tendência ao crescimento do consumo. Esses levantamentos foram realizados entre estudantes de 1º e 2º graus em 10 capitais brasileiras e também em amostras de adolescentes internados e entre meninos de rua. Em 1997, o CEBRID mostrou que existe uma tendência ao aumento do consumo dos inalantes, da maconha, da cocaína e de crack em determinadas capitais. No entanto, o álcool e o tabaco continuam de longe a ocupar o 1º lugar como as drogas mais utilizadas ao longo da vida e atualmente contribuem com o aumento nos índices de acidentes no trânsito e a violência.
Entre os fatores que desencadeiam o uso de drogas pelos adolescentes, os mais importantes são as emoções e os sentimentos associados a intenso sofrimento psíquico, como depressão, culpa, ansiedade exagerada e baixa autoestima.
Mais informações sobre as atividades desenvolvidas pela entidade podem ser obtidas através da página eletrônica: http://vidavidaeesperanca.blogspot.com/, e-mails: prdhennis@hotmail.com e vidaeesperanca@live.com ou tel.: (33) 9968-4552, 8801-4277 e 3084-1378. Quem desejar, pode depositar qualquer quantia na conta da ASBEVE (Associação Beneficente Vida e Esperança), Banco do Brasil, Agência 2296-9, Conta Corrente 32653-4.
Link:
http://www.brazilianvoice.com/bv_noticias/bv_comunidade/41518-Clnica-recuperao-dependentes-qumicos-pede-ajuda-Minas-Gerais.html

Nenhum comentário: