17 de jun de 2009

ESPÍRITO SANTO



5 – A AÇÃO DO ESPÍRITO SANTO NO NOVO TESTAMENTO

Sem dúvida alguma, falar da ação do Espírito Santo durante o período do Novo Testamento tomaria muito mais que todo o conteúdo desta apostila, tal como está, visto que a mesma já é, em si, uma sinopse do trabalho do Espírito de Deus, e não um amplo tratado, talvez como desejássemos realizar. Assim, apontaremos aqui apenas alguns pontos comuns do trabalho d'Ele na vida da igreja e dos seus chamados e, também de seus ministros, para facilitar a compreensão do que desejamos passar, e evitar o enfado que, em geral e não raro, prejudica o aprendizado e não trás proveito.

a) Glorificar o nome de Jesus:

Em João 16:14 o próprio Jesus dá testemunho do Espírito, ao dizer: "Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar".

b) Convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16:8-11).

Do Pecado, porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus (Rm 3:23 – cpr. Jo 16:9); Da Justiça, porque o Senhor não faz acepção de pessoas (Dt 10:17- At 10:34 – cpr. Jo 16:10); e do Juízo, porque todo joelho há de dobrar-se diante do Senhor Jesus (Rm 14:11 – cpr. Jo 16:11 – cf. 1ª Jo 5:19).

c) Fazer lembrar os fatos relacionados a Jesus e ao Evangelho.

Em João 14:26 o Senhor Jesus diz que o Pai enviaria o Espírito Santo Consolador que faria com que seus servos lembrassem todas as coisas relacionadas a Ele e ao mistério de Deus na vida dos homens. E veja-se que aqui o próprio Jesus diz que é o Pai que enviará o Espírito; já em João 16:7 Jesus disse que Ele é o que enviaria o Espírito; mas no mesmo livro de João 16:13 o Senhor Jesus fala da vinda do Espírito como que Ele vindo por si, e não como sendo enviado; mais uma vez provando, agora pelas palavras, de que o Pai, Jesus e o Espírito Santo são realmente UM (1ª Jo 5:7). Outro detalhe: todo o conteúdo do NT foi escrito posteriormente ao ministério do Senhor Jesus, assim era necessário que o Espírito Santo trouxesse à tona o conteúdo de tudo quanto Jesus tinha falado e vivido em família e também com seus discípulos para que os escritores sacros transmitissem a nós o conteúdo da vida e obra do Senhor Jesus.

d) Ensinar.

Ou seja: trazer a pleno conhecimento humano o sentido original das Sagradas Escrituras, segundo o que o mesmo Senhor planejou ensinar numa e/ou noutra passagem da Palavra. Jo 14:6

e) Conduzir o pecador a Deus.

Jo 16:13. Para conduzir o pecador a Deus o Espírito Santo tem de atuar como que sendo um sacerdote. O Texto diz: “Mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir.”

f) Anunciando fatos e eventos futuros:

Ap 2:7,11,17,29 - 3:6,13,22 –Jo 16:13b (cpr: Je 33:3). Em todos os textos acima citados o Senhor Jesus informa que o Espírito Santo traria ao homem o conhecimento prévio de fatos e eventos que ainda se dariam.

g) Levar o homem à santificação.

1ª Pe 1:16. A primeira natureza dada ao homem por Deus é santa e pura. Tão santa e pura que o homem podia, como registrado em Gênesis 3:8, todos os dias conversar com o próprio Deus e permanecer vivo e tranqüilo diante d’Ele. Contudo, após o pecado consumado, a natureza do homem se deteriorou, sendo agora necessário que mais uma vez o próprio Deus, através do seu Santo Espírito aprimore o entendimento do homem. Diz o texto: “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor” (II Coríntios 3 : 18).

h) Prevenir contra os falsos mestres.

2ª Tm 4:3-5 diz: “SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.”

i) Prevenir a respeito dos falsos ensinos.

1ª Jo 4:1-3: “AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.”

j) Dotar o homem de discernimento a respeito das coisas.

1ª Co 2:15 diz: “Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.”

k) Dotar o homem de dons sobrenaturais [dons chamados: extraordinários] (gr. Kharisma).

1ª Co 12:7-11 diz: Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; E a outro, pelo mesmo Espírito, a ; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como (Ele) quer.”

l) Capacitar o homem para funções específicas.

1ª Co 12:27-31. “Ora, vós sois o corpo de Cristo, e seus membros em particular. E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. Porventura são todos apóstolos? são todos profetas? são todos doutores? são todos operadores de milagres? Têm todos o dom de curar? falam todos diversas línguas? interpretam todos? Portanto, procurai com zelo os melhores dons; e eu vos mostrarei um caminho mais excelente.”

m) Capacitar o homem para atuar na obra da redenção.

2ª Co 6:4-10 * . Em 1ª Pe 1:12 diz: “Aos quais[homens] foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar.”

n) Apresentar diante de Deus as intercessões antes feitas de forma imprópria.

Rm 8:26,27. E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos.”

o) Fazer com que o anunciador da palavra saiba o que deva falar.

Ap 3:10 – 1ª Co 2:6-16

“Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam. Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus. Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus. Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido.”

p) Operar sinais através dos homens para que Deus, em Cristo, seja glorificado. 1ª Co 2:4

q) Dando a certeza de que somos FILHOS DE DEUS. Rm 8:13-17

r) Exaltando a graça de Cristo acima da lei do AT. Rm 8:1-4 – Gl 2:16,21 - 5:4

s) Definindo aqueles que realmente são de Cristo. Rm 8:8,9

t) Confirmando a transformação no ato do arrebatamento. Rm 8:11, 18-25

u) Batiza. Mt 3:11 – 1ª Co 12:13

v) Alegrar os servos de Deus. Rm 14:17


6 – JESUS E O ESPÍRITO SANTO

O Senhor Jesus tinha um relacionamento todo especial com o Espírito Santo; afinal o Espírito Santo é nada menos que parte d'Ele próprio. Muitas foram as profecias dadas no período anterior ao seu nascimento, e que indicavam que Ele seria mesmo cheio do Espírito de Deus (Is 11:2 – 61:1-3 [cfr.Lc 4:18-21]).

a) O Nascimento do Cristo gerado pelo Espírito Santo. O evangelista Mateus, assim como Lucas declaram de forma inequívoca ter sido o nascimento do Senhor Jesus um ato milagroso, tendo como agenciador o Espírito Santo (Mt 1:18 – Lc 1:27);

b) O batismo de Jesus. João Batista, a principio, recusa batizar Jesus, até que Este o insta a fazê-lo para que as Escrituras se cumprissem (Mt 3:14, 15). E é o mesmo João Batista que instrui o povo a respeito daquele a quem batizara, dizendo: "... Ele vos batizará com Espírito Santo e com fogo" (Mt 3:11b). E quando Jesus é batizado, vemos então a plenitude do Espírito sobre sua vida, quando registra a Palavra: "E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus(se abriram para Ele), e viu (Ele viu) o Espírito de Deus(o Espírito Santo)descendo como pomba e vindo sobre Ele" (Mt 3:16). Veja então que o Espírito ao descer sobre Ele, no seu batismo, permitiu-lhe que os céus lhe fossem abertos, conferindo-lhe, ainda, o poder de uma plena visão das coisas espirituais, pois está registrado que Ele viu o Espírito descer sobre si. Mas ainda questionamos: porque o Espírito desceu em forma corpórea de uma pomba? Resposta: Ao contrário do corvo, que após o dilúvio, e consequente destruição da face da terra, encontrou lugar e pousada em suas ruínas, a pomba não encontrou ambiente naquele caos deixado pelas águas diluvianas, preferindo retornar à arca e estar junta e próxima dos escolhidos (Gn 8:10,11). Vemos, ainda, que quando a pomba retorna pela segunda vez à arca, ela trás em seu bico uma folha de oliveira... JESUS É A OLIVEIRA VERDADEIRA (Rm 11). Ainda a pomba é símbolo de brandura, delicadeza, ternura, inocência, simplicidade, e pureza... "aprendei de mim que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas, porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve" (Mt 11:29).

c) A tentação de Jesus por Satanás. Durante quarenta dias Jesus foi tentado por satanás, e certamente somente Deus sabe o porquê disto (Lc 4:2). Mas, quando pouco, podemos entender, segundo a mesma palavra de Deus, que naquilo em que Ele foi tentado e triunfou, pode socorrer aos que são tentados mas não vêem como vencer(2 Pe 2:9 – 1 Co 10:13). Vale lembrar que, somente pelo fato de estar cheio do Espírito Santo é que Jesus conseguiu vencer a satanás (Lc 4:1). O que os Evangelhos registram é apenas a última etapa da tentação que Lhe foi oferecida pelo inimigo, mas conforme bem o diz a Palavra de Deus, Jesus foi tentado durante todos os quarenta dias em que esteve em jejum e consagração (e cheio do espírito Santo), e certamente durante este período teve de enfrentar ofertas mesmo impensáveis, para nós, de ouvir.

d) O ministério de Jesus. O Senhor Jesus após fazer a leitura de certa parte das Escrituras, disse: "Hoje se cumpriu esta escritura em vossos ouvidos" (Lc 4:21 – cfr. Is 61:1-3). Poderia ser questionado, e talvez você esteja fazendo isto agora, sobre o porquê de Jesus precisar receber o Espírito Santo, sendo Ele próprio UM com Ele? Pois bem, a Palavra bem diz que Jesus é Deus, e de fato o é. Mas também a mesma Palavra diz com todas as letras que Jesus também é Homem (Jo 1:1 – 10:30 – 1ª Tm 2:5). Assim, como Deus Ele não precisava receber o Espírito, já que este era apenas uma parte integrante d'Ele próprio, mas como Homem, sim, Ele precisava, para demonstrar para o homem comum de que tentar fazer a obra d'Ele, como muitos tem desejado, sem o enchimento do Espírito Santo não será nada mais que uma tremenda perda de tempo, e a realização de apenas obra da carne e nunca do Espírito, porque o Espírito só pode testificar da obra que Ele próprio orienta.

e) A promessa de Jesus sobre o Espírito Santo. Em Lucas 11:13 Jesus prometeu que todo aquele que lhe pedisse do Espírito Santo receberia. E a promessa era não somente para aqueles dias, mas para todos os dias da igreja até o arrebatamento (At 1:5,8 – 2:39,42).

f) O Espírito Santo ressuscitando Jesus dos Mortos. Em Romanos 8:11 está escrito: "E, se o Espírito daquele que dos mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dos mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita".

g) O derramamento do Espírito Santo no Dia de Pentecostes. Aquele derramar do Espírito Santo se deu porque Jesus o havia prometido, e mais precisamente porque Ele próprio o cumpriu, pois está escrito que foi Ele, em pessoa, que "derramou" o Espírito Santo sobre aqueles que ali se encontravam reunidos (At 2:33).

h) O Espírito Santo prometido por Jesus na vida da Igreja hoje. O Senhor prometeu que onde estivessem dois ou três reunidos em nome d'Ele Ele se faria presente, e de fato Ele tem cumprido esta palavra, porque o Espírito do Senhor tem habitado na vida dos crentes sinceros e verdadeiros; aqueles que tem deixado a demagogia de lado e vivido de forma completa voltada para Deus. Examine o conteúdo de João 16:7-15.

i) O Espírito Santo no arrebatamento da Igreja. "Vivamos neste presente século sóbria, e justa e piamente, aguardando a bem-aventurada esperança, e o aparecimento da glória do Grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo, o qual se deu a si mesmo por nós, para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras. Fala disto, e exorta e repreende com toda a autoridade. NINGUÉM TE DESPREZE." (Tito 2:12b-15).


SÍMBOLOS DO ESPÍRITO SANTO

a) Vento: Ruah no hebraico, Pneuma no grego, e spíritus no latim. João 20:22 – Atos 2:2 – Ezequiel 37;

b) Água: Ezequiel 47:1-12 - Joel 2:23 – Isaias 44:3 – João 7:37-39;

c) Pomba: Lc 3:21,22

d) Azeite (óleo): Heb 1:9 (cpr. Is 61:1,2)– Sl 92:10 – 133

e) Fogo: Heb 12:29 – Is 4:4 - 66:15 - Mt 3:11



O ESPÍRITO SANTO NÃO É DADO POR MEDIDA

No Evangelho "de" João 3:34, há uma promessa de se conceder o Espírito Santo NÃO POR MEDIDA, mas em plena e perfeita liberdade, e conforme o desejo daquele que O buscar. Contudo, há de se observar que o referido texto (basta analisar o contexto) fala a respeito do Senhor Jesus, e não de uma promessa para o seus servos. Mas, quando analisamos o conteúdo de Efésios 2:10, vemos que a Palavra de Deus nos indica como "feitura sua criados em Cristo para as boas obras". Assim, conhecemos, então, que temos também a plena liberdade de recebermos o Espírito Santo também não por medida.

Quando ainda analisamos o texto do Antigo Testamento sobre o derramamento do Espírito de Deus, e a forma livre de como isto se daria, vemos que ali foi dada uma ordem por parte do rei (símbolo do Rei Jesus), de que o beber fosse livre, e sem que ninguém forçasse o outro, mas que cada um recebesse o quanto desejasse e buscasse; portanto a ponto de encher-se e fartar-se (Ester 1:1-8). Vemos ainda no texto áureo sobre o derramamento do Espírito Santo, que há no Antigo Testamento, que o próprio Senhor não estabeleceu limites para a concessão do seu Espírito, mas simplesmente o fez (profeticamente) com toda a liberdade. Vemos ainda no texto onde começa a se cumprir esta profecia, registrada em Atos 2, a mesma liberdade com que o seu cumprimento se deu, quando aqueles que criam e esperavam se encheram a ponto de serem tomados por embriagados (porque falavam n’outras línguas; e isto parecia ao povo coisa de embriagues) e, já aqueles que não deram valor à profecia, simplesmente ficaram olhando meio atônitos e assistindo o fato que ali se dava. Ao concluir o seu discurso no Dia de Pentecostes, o Apóstolo Pedro afirma categoricamente: "Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe; a tantos quantos Deus, nosso Senhor chamar" (v. 42).



A TRINDADE PRESENTE EM CONJUNTO NUM ATO

.1. Na criação original Gn 1:26

.2. No batismo de Jesus Lc 3:21,22

.3. Na Benção Apostólica 2ª Co 13:13

.4. Na Grande comissão Mt 28:18 – 20

.5. Morando no novo homem Jo 14:23 (cpr. 1ª Co 6:19 – Ap 3:20)



10 – A DIFERENÇA DO TRABALHO DO ESPÍRITO SANTO PARA O TRABALHO DOS ANJOS

A Palavra de Deus diz que o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que temem ao Senhor para livrá-los e protegê-los (Sl 34:7), mas a respeito do Espírito Santo diz a Palavra que o homem (o novo nascido) é templo d'Ele (1ª Co 6:19), e ai já podemos deslumbrar a diferença estabelecida, não pelo homem, mas por Deus.

a) Os anjos podem perseguir Sl 35:5,6

b) Os anjos recebem ordem de Deus Sl 91:11

c) Os anjos obedecem as ordens de Deus Sl 103:20

d) Os anjos adoram a Deus Sl 103:20 – 148:2

e) Os anjos podem lutar Os 12:4 – Gn 32:24

f) Os anjos podem interferir Nm 22:32,33

g) quanto mais...

a) O anjo pode te livrar de um acidente pondo-se no seu lugar, o Espírito Santo não faz assim;

b) O Espírito Santo pode te convencer do pecado, o anjo não;

c) O anjo pode te levar a evangelizar alguém, mas não pode fazê-lo por si mesmo;

d) O Espírito Santo é o maior Evangelista de todos os tempos, pois é Ele que leva o homem a Deus;



ESPÍRITO SANTO, AQUELE QUE REVELOU OS ESCRITOS SACROS


A própria Palavra de Deus fala, de forma muito clara e inequívoca, que todo o conteúdo sacro foi inspirado pelo Espírito Santo (2ª Pe 1:21- cpr. 2ª Tm 3:16,17 – Dt 11:8-12). Assim, tudo o que estudamos, lemos, e ouvimos da palavra de Deus é graças ao próprio Espírito Santo de Deus, que além de tê-la inspirado e revelado é, ainda, a fonte de sua aplicabilidade no nosso dia-a-dia e em todo o curso da história.



BATISMO NO (OU COM O) ESPÍRITO SANTO

O comentário que segue foi extraído do DICIONÁRIO TEÓLOGICO CPAD, de Claudionor Corrêa de Andrade:

"[BATISMO NO ESPÍRITO SANTO: Do grego baptisma mergulho, submersão]. Revestimento de poder que, segundo os Evangelhos e os Atos dos Apóstolos, segue-se à verdadeira conversão à Cristo Jesus. Tornando-se realidade no cenáculo, na casa de Cornélio, e entre os doze de Éfeso, a experiência do batismo no Espírito Santo fez-se padrão na vida dos seguidores do nazareno.

Prova-nos a mesma história que o batismo no Espírito Santo não se limitou ao Atos dos Apóstolos. Tertuliano, João Crisóstolo, Martinho Lutero, e Finney, que viveram em épocas diferentes, desfrutaram da chamada segunda benção. E o que dizer do movimento pentecostal que irrompeu no século XX? Mas qual a finalidade do batismo no Espírito Santo? De acordo com Atos 1:8, é a divulgação do Evangelho de Cristo. A este respeito, afirmou o evangelista norte-americano Stanley Jones: "A vida do cristão começa no calvário; mas o trabalho eficiente no pentecoste". É uma promessa a ser desfrutada por todos os que recebem a Jesus como o único e suficiente Salvador". Até aqui o Dicionário Teológico.



DONS ESPIRITUAIS

Para melhor e perfeita compreensão deste assunto trataremos com a própria palavra de Deus, em 1ª Coríntios capítulo 12:1-11 – 14:1-40. Isto porque estes textos já são em si uma plena e perfeita explicação do assunto que aqui se pretende, e nada melhor que a própria Bíblia para explicá-la.

VEJA O TEXTO:

1 ACERCA dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. 2 Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados. 3 Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o SENHOR, senão pelo Espírito Santo. 4 Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. 5 E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. 6 E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. 7 Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil. 8 Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência; 9 E a outro, pelo mesmo Espírito, a ; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; 10 E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. 11 Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.

Observe que a relação dos chamados dons espirituais, ou “dons extraordinários” estão colocados numa ordem estabelecida por Deus e uniformemente distribuídos, num total de nove dons. Observemos também que uma coisa são os dons espirituais, outra coisa os ministérios, e outra também distinta as operações.

Temos então (pela ordem):

1º) Palavra de Sabedoria. Aqui podemos lembrar da atitude do rei Salomão quando do julgamento das duas mulheres que diziam ser mãe da criança. O Julgamento se deu em palavra de sabedoria (1º Re 3:23-28).

2º) Palavra da Ciência (ou conhecimento). Estevão, o primeiro mártir, discorreu sobre todo o antigo testamento num ato de defesa pela acusação que sofria. Mostrando com isto o seu vasto conhecimento sobre aquilo que dizia (At 6:8-7:60).

3º) Fé. Veja que não se trata aqui da fé “comum” de quando se toma a posição de andar com Cristo. A primeira fé, aquela do momento da aceitação, esta é gerada e impulsionada pelo próprio Deus (1ª Cor 12:3 – Ef 2:5), e é de graça. Mas aqui já não se trata daquela primeira fé, mas agora da fé que “remove montanhas”, seja de problemas, de demônios, de incredulidade, ou mesmo no sentido literal (Mt 17:20).

4º) Dons de curar. Este é o único dom que está no plural, visto as diversas maneiras como o Espírito Santo atua operando curas.

5º) Operação de maravilhas. Ex.: Abertura do mar por Moisés

6º) Profecia: A máxima expressão da Palavra de Deus, muito confundido com entregar revelações...

7º) Discernimento de espíritos: Eis aqui o dom que todos deveriam buscar de Deus... Conhecer as situações

8º) Variedade de Línguas: Aqui estão as chamadas "Linguas Estranhas"; tão combatidas e tão bíblicas

9º) Interpretação das línguas: Simples assim; se tenho que interpretá-las é porque elas existem (aqui não é idiomas = aqui se trata da lingua dos anjos de que o Apostolo Paulo tanto fala em 13 de 1ª Coríntios )

1 SEGUI o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar. 2 Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala mistérios. 3 Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação. 4 O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. 5 E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação. 15 Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento. 20 Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento. 26 Que fareis, pois, irmãos? Quando vos ajuntais, cada um de vós tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. 27 E, se alguém falar em língua desconhecida, faça-se isso por dois, ou quando muito três, e por sua vez, e haja intérprete. 28 Mas, se não houver intérprete, esteja calado na igreja, e fale consigo mesmo, e com Deus. 29 E falem dois ou três profetas, e os outros julguem. 30 Mas, se a outro, que estiver assentado, for revelada alguma coisa, cale-se o primeiro. 31 Porque todos podereis profetizar, uns depois dos outros; para que todos aprendam, e todos sejam consolados. 32 E os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas. 33 Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos. 37 Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que as coisas que vos escrevo são mandamentos do Senhor. 38 Mas, se alguém ignora isto, que ignore. 39 Portanto, irmãos, procurai, com zelo, profetizar, e não proibais falar línguas. 40 Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.



"E o ESPÍRITO e a esposa (Igreja) dizem: Vem!, e quem ouve diga: Vem! E quem tem sede venha, e quem quiser tome de graça da água da vida".

Ap 22:17

Nenhum comentário: